Ícone do site Truth and Tales

Meu filho é tímido e introvertido. E agora?

Meu filho filha é introvertido tímido introvertida tímida crianças

Traduzimos o artigo For Extroverts: 15 Ways to Be a Better Parent to Your Introverted Kid, de Jennifer Granneman, que traz 15 dicas para você saber lidar com o temperamento tímido e introvertido do seu filho(a) e a criar um relacionamento seguro e saudável com ele(a).

Você está confuso em relação ao seu filho ou filha. Ele ou ela não age da mesma forma que você quando criança. Está hesitante e reservado(a). Ao invés de correr para brincar, prefere ficar de lado a assistir às outras crianças se divertirem.

Seu filho ou filha fala com você pelos cotovelos — às vezes divagando ou contando histórias, mas outras vezes ficava calada, e você não consegue entender o que está passando pela cabeça dela.

Ele(a) passa muito tempo sozinho em seu quarto e a professora diz que gostaria que ele ou ela participasse mais da aula. Sua vida social é limitada a duas pessoas. E o estranho é que seu filho(a) parece estar super ok com tudo isso.

Não é incomum que pais que com comportamentos extrovertidos se preocupem com seus filhos com temperamento tímido e introvertido. Muita gente se pergunta se esse comportamento tímido é emocionalmente saudável.

Crianças podem sofrer de ansiedade e depressão, assim como adultos. Por isso, é importante se informar dos sintomas da depressão na infância: às vezes, o afastamento de família e amigos e falta de energia pode significar algo mais que timidez e introversão.

Em contrapartida, muitas crianças com comportamento introvertido e tímido não têm depressão ou ansiedade.

Como cuidar do seu filho(a) com comportamento introvertido e tímido de forma saudável:

1. Saiba que não tem nada de incomum ou vergonhoso em ter comportamento tímido e introvertido

Pessoas tímidas não são minorias. Os números variam de acordo com o estudo, mas 30% a 50% da população dos Estados Unidos é composto por pessoas introvertidas.

Muitos líderes, artistas e empreendedores de sucesso se consideram introvertidos, como Bill Gates, Emma Watson, Christina Aguilera, J.K. Rohling e Madre Teresa.

2. Entenda que o temperamento tímido do seu filho(a) é natural da criança

Você acha que seu filho pode “superar” o ódio pelas festas de aniversário estridentes? Pense de novo. O cérebro de pessoas introvertidas e extrovertidas têm conexões diferentes, de acordo com a Dra. Marti Olsen Laney, autora do livro The Hidden Gifts of the Introverted Child. Ela escreve que o temperamento das crianças é inato, apesar de os pais terem um papel importante em nutrir esse temperamento.

O cérebro dos introvertidos e extrovertidos usam diferentes vias de neurotransmissores e, de maneira geral, usam diferentes “lados” dos seus sistemas nervosos (introvertidos preferem o lado parassimpático, que é o sistema de “descanso e digestão”, e oposição ao simpático, responsável pelo “lutar, fugir e congelar”).

Além disso, um estudo publicado no Journal of Neuroscience descobriu que os introvertidos têm massa cinzenta maior e mais espessa em seus córtices pré-frontais, que é a área do cérebro associada ao pensamento abstrato e à tomada de decisões.

3. Vá devagar ao apresentar pessoas novas para seu filho(a)

Pessoas com temperamento introvertido podem se sentir sobrecarregados e ansiosos em novos ambientes e em torno de novas pessoas. Se vocês estão em um evento social, não espere que seu filho ou filha se misture com outras crianças e saia se apresentando por aí imediatamente.

Chegar cedo nessas ocasiões ajuda, assim, pode ser que seu filho(a) se sinta mais confortável num ambiente em que ele chegou antes que as outras pessoas. Deixar que a criança fique perto de você também pode ajudar, ou outro lugar onde ela se sinta segura. Observar de longe acalma bastante.

Não importa em que nova experiência a criança esteja se acostumando, lembre-se: vá devagar, mas não deixe de ir. “Não deixe que ele desista de fazer as atividades, mas respeite seus limites, mesmo quando eles parecerem extremos.”, escreve Susan Cain sobre crianças introvertidas.

4. Lembre seu filho(a) que ele(a) pode dar uma pausa na socialização se sentir sobrecarregado ou cansado

Enquanto pessoas com temperamento extrovertido se sentem energizadas socializando, introvertidos podem se sentir drenados de energia.

Se seu filho(a) é mais velho, ele pode pedir licença e dar um tempo num lugar mais calmo, como em outro quarto, no banheiro ou fora do local.

Se a criança é mais nova, talvez não perceba quando está cansada, por isso, observe os sinais de fatiga e ajude-a a identificar e se ausentar nestes momentos.

5. Elogie a criança quando ela se coloca numa situação social que considera de risco

Fale para ela que você admira o que ela fez e que você torce por ela. Pode ser algo como “Ontem eu vi que você falou com aquela criança nova. Sei que foi difícil pra você, mas tenho orgulho do que você fez”.

6. Lembre-a de quando ela acaba gostando de algo que inicialmente tinha medo

Muitas crianças colocam uma visão negativa de algumas situações que ainda não aconteceram por medo. Diga algo como “Você pensou que a festa não seria legal para você, mas acabou fazendo amigos, olha que legal!”. Com um esforço positivo como esse, com o tempo, é mais provável que ela consiga regular o nervosismo e pavor em momentos de socialização.

:: Leia também: Como ajudar as crianças a desenvolverem uma boa auto-estima ::

7. Ajude seu filho(a) a cultivar suas paixões

Seu filho ou filha pode ter interesses intensos e talvez até únicos. Christine Fonseca, autora de Quiet Kids: Help Your Introverted Child Succeed in an Extroverted World, fala para dar oportunidades para que as crianças introvertidas busquem esses interesses.

Futebol e grupo de escoteiros podem funcionar bem para algumas crianças, mas não se esqueça de olhar para caminhos menos tradicionais como aulas de artes, programação, redação ou campos da ciência.

O envolvimento intenso em uma atividade pode trazer felicidade, bem-estar e confiança, e oferece ao seu filho(a) a oportunidade de socializar com outras crianças que têm paixões semelhantes e, talvez, temperamentos semelhantes.

8. Converse com a professora do seu filho(a) sobre sua introversão e timidez

Isso ajuda a professora a lidar melhor com sua filha/o. Muitas professoras e professores assumem erroneamente que crianças com temperamento introvertido não falam muito em sala de aula por falta de atenção ou falta de interesse. Ao contrário, estudantes introvertidos podem ser mais atentos às aulas, mas preferem ouvir e observar do que participar ativamente.

Se a professora souber do temperamento introvertido da criança, ela pode ajudá-la de formas mais sutis e suaves, como na interação com amigos, na participação de trabalhos em grupo ou apresentações em sala de aula.

9. Ensine seu filho(a) a se defender

Ensine a dizer “pare!” ou “não!” em voz alta quando a criança vê necessidade em colocar limite, por exemplo, quando outra criança tentar tirar um brinquedo dele(a).

Se seu filho(a) estiver sofrendo bullying ou estiver sendo tratado de forma injusta na escola, encoraja a falar com um adulto ou com quem está fazendo isso com ele(a). “Comece ensinando à crianças introvertidas que sua voz é importante”, diz Fonseca.

10. Certifique-se de que seu filho(a) seja ouvido

Ouça seu filho e faça perguntas para fazê-lo falar mais. Muitas pessoas com temperamento introvertido — crianças e adultos — lutam para se sentir ouvidos pelos outros.

Os introvertidos “vivem internamente e precisam de alguém que os perceba, os escute e que os entenda”, escreve Dra. Laney em seu livro. “Sem pais ouvem e refletem de volta para eles, como um eco, o que eles estão pensando, eles podem se perder em suas próprias mentes.”

11. Esteja ciente de que seu filho(a) pode não pedir ajuda

Pessoas com temperamentos introvertidos tendem a internalizar os problemas. Seu filho pode não falar com você sobre uma situação difícil com a qual está lidando, embora deseje e/ou precise de ajuda ou alguma orientação de um adulto. Faça perguntas e ouça com atenção — mas não force ou faça perguntas que pareçam um interrogatório.

12. Não coloque a etiqueta de “tímido” no seu filho

“Tímido/a” é uma palavra que carrega uma conotação negativa. Se a criança que tem um temperamento introvertido ouve a palavra “tímida” se referindo a ela muitas vezes, ela pode começar a acreditar que seu desconforto com as pessoas é uma característica fixa, não um sentimento que ela pode aprender a regular.

Além disso, “tímida” foca na inibição que ela experimenta e não ajuda a entender a verdadeira fonte de sua quietude — seu temperamento introvertido.

13. Não se preocupe se seu filho(a) tem apenas um ou dois amigos próximos

Pessoas com temperamento introvertido buscam profundidade nos relacionamentos, não amplitude. Elas preferem um pequeno círculo de amigos e geralmente não estão interessados em ser “populares”.

14. Não leve para o pessoal quando seu filho(a) precisa de um tempo sozinho/a

Qualquer coisa que puxe seu filho para fora do seu mundo interior — como ir à escola, socializar, ou mesmo uma nova rotina — é um esforço, drena suas energias.

Não fique sentido ou pense que seu filho(a) não gosta de estar com a família quando fica sozinho/a em seu quarto (lendo um livro, jogando no computador ou apenas brincando e usando sua imaginação).

Provavelmente, quando a criança se sentir com as energias recarregadas, ela irá querer passar mais tempo com a família.

15. Celebre o temperamento de seu filho(a)

“Não apenas aceite seu filho(a) por quem ele(a) é; valorize-o/a por quem ele(a) é”, diz Caim. “Crianças com temperamento introvertido costumam ser companhias gentis, focadas e muito interessantes, desde que estejam em ambiente que funcionam para elas.”

Sair da versão mobile