fbpx

Contos de Grimm: saiba mais sobre as histórias infantis mais famosas do mundo

Com certeza você já ouviu as histórias da Cinderela, Rapunzel, Branca de Neve, João e Maria, e o Pequeno Polegar. Muitos deles tornaram-se clássicos filmes infantis que encantaram gerações e continuam presentes na vida das crianças. Essas e muitas outras histórias fazem parte dos Contos de Grimm

Como já falamos sobre as fábulas de Esopo, hoje vamos abordar outras histórias populares infantis: os contos de Grimm.

O que são os Contos de Grimm

Os contos de Grimm são compostos por contos de fadas, fábulas e outros contos publicados pelos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm. São 2 coletâneas: a primeira com 86 histórias, publicada em 1812; e a segunda coletânea publicada em 1814 com 70 histórias. As coletâneas tiveram diversas edições, e histórias foram adicionadas e retiradas entre uma edição e outra. Além dos dois volumes de contos, os Irmãos Grimm também publicaram uma pequena seleção de 50 contos para o público infantil em 1825.

Inicialmente, os Irmãos Grimm publicaram os contos com o objetivo de preservar a cultura oral das histórias populares que ouviam na Alemanha, país onde viviam. Por isso, muitos contos não eram adequados para o público infantil: havia personagens cruéis, violência e mensagens subliminares sexuais.

Mas todos os contos faziam parte do imaginário da Alemanha do século XIX e da cultura oral que havia sobrevivido até então. As histórias ajudavam as pessoas no enfrentamento de desafios e na transmissão de sabedoria daquela cultura. 

Outro objetivo dos Irmãos Grimm com o registro das histórias era de fazer um levantamento dos elementos linguísticos para fundamentação dos estudos filológicos da língua alemã. De forma resumida, eles queriam que as tradições, cultura e língua alemã fossem registradas e preservadas, já que nessa época, as terras que hoje compõem a Alemanha eram constantemente ameaçadas pelas guerras napoleônicas.

Moral da história

Os contos mais comuns que apresentam moral da história também são as Fábulas de Esopo. Os contos de Grimm não apresentam a moral da história tão abertamente, apesar de ter um ensinamento. Apesar disso, muitas adaptações dos contos adicionam uma moral da história para deixar claro qual ensinamento passar para a frente.

Como explicamos mais detalhadamente o artigo sobre as Fábulas Gregas, acreditamos que ter uma moral da história limita o aprendizado e ensinamentos que a história pode ser. Afinal, uma história pode ter muitas interpretações e cada pessoa pode enxergar e absorver sabedorias diferentes do mesmo conto.

A evolução dos contos ao longo do tempo

Jacob e Wilhelm não estavam muito preocupados no teor das histórias que registravam, afinal, o trabalho ali era para manter a cultura viva. Era comum encontrar cenas de mutilação, mães sendo retratadas como vilãs, vingança violenta, finais aterrorizantes e muita tragédia. 

O problema é que a primeira edição foi publicada em 1812 como “Contos Infantis Domésticos”, e não foi um sucesso de imediato – já dá pra imaginar os motivos. Nas últimas edições publicadas pelos irmãos, eles adaptaram e modificaram os enredos para que as histórias ficassem mais próprias para as crianças.

Os Contos de Grimm atualmente

Os Contos de Grimm permaneceram no imaginário cultural da Alemanha e cruzaram fronteiras ganhando o mundo inteiro. Os filmes mais clássicos da Disney são adaptações dos Contos de Grimm; teatros de diversos países são palco para musicais e peças das histórias dos irmãos, e diversos livros de adaptações e releituras foram publicados. 

Os contos de hoje são diferentes dos originais e ainda dos que foram adaptadas pelos próprios irmãos Grimm. As histórias sofreram várias mudanças ao longo do tempo para fazer sentido com o contexto histórico e cultural de cada época e país.

Apesar disso, os Jacob e Wilhelm conseguiram cumprir com seu objetivo inicial: que a tradição oral alemã continuasse viva ao longo das gerações.

Teaching Stories x Contos de Grimm

As Teaching Stories também são contos milenares, assim como os dos Irmãos Grimm. Enquanto as Teaching Stories transmitem a sabedoria de um povo e cultura, os Contos de Grimm tinham a intenção de difundir costumes e regras sociais. Além dessas, as Teaching Stories e os Contos de Grimm tem outras diferenças.

A principal diferença é a necessidade de adaptação. As Teaching Stories viajam gerações sem a necessidade de grandes adaptações, já que a sabedoria transmitida está ligada à estrutura do conto. Nas Teaching Stories, é possível trocar o gênero dos personagens e mudar os animais das fábulas, por exemplo, sem perder a essência da história. A necessidade de adaptação das Teaching Stories está nos detalhes, já que a transmissão de sabedoria transcende os personagens e detalhes narrativos, tornando-as adequadas ao longo das gerações.

Já os Contos dos Irmãos Grimm precisam de cada vez mais adaptações para se adequar às gerações. E a necessidade de adaptação vem se tornando necessária cada vez mais rápido com a mudança de paradigma em relação à misoginia, racismo, e a busca por equidade, por exemplo. É difícil encontrar um conto antigo que não peça adaptações para a geração das crianças de hoje, mas os Contos de Grimm são estruturados de forma que perdem o sentido diante de muitas mudanças narrativas. Muitos elementos dos Contos de Grimm são amarrados: desde personagens, detalhes físicos e de personalidade dos personagens, à narrativa e à estrutura. Isso dificulta que o objetivo principal dos contos permaneça nas adaptações necessárias para adequar os contos às gerações futuras, já que os costumes e as regras sociais mudaram muitos desde a publicação dos contos.

No aplicativo Truth and Tales tem Teaching Stories para as crianças! É oferecido em dois formatos: contos interativos e audiobooks ou audio livros. Nos contos interativos, as crianças podem ouvir e ler a história ao mesmo tempo, e ainda se divertem com os jogos e interações; já nos audiobooks, as crianças só escutam a história, podendo ser usado em momentos que pedem mais tranquilidade como a hora de dormir ou uma viagem de carro.

Como as Teaching Stories podem ser combinadas com a tecnologia?

Depois do nosso último post, imaginamos que você já saiba os benefícios das Teaching Stories. Mas onde podemos identificar os elementos das Teaching Stories nas histórias e contos?

Organizamos um material baseado no Truth and Tales, o nosso aplicativo, explicar melhor como as Teaching Stories se dão na prática.

Além dos benefícios das Teaching Stories, os livros têm outros destaques, como a opção de serem narrados ou sem som para a criança ler sozinha ou acompanhada dos pais. As histórias contarão com uma ferramenta de karaokê, onde as palavras lidas pelo narrador ficam amarelas, facilitando na leitura e auxiliando as crianças em alfabetização. Também serão interativos, dessa maneira, a criança não será uma mera espectadora: ela poderá participar da história e ter uma experiência mais imersiva.

Nesta cena da história que lançamos no aplicativo há alguns elementos das Teaching Stories:

Infográfico de teaching stories. Foto de menina com um buquê de flores ao lado de um dragão desenhado. Os itens Negociação e Empatia saem do dragão, e os itens Padrões de comportamento e Negociação saem da criança.
Benefícios das Teaching Stories

O que acontece na cena da Teaching Stories é o seguinte: a criança precisa de um elixir para resolver seus problemas. O elixir se encontra dentro na caverna do dragão. Antes de encontrar o dragão, a criança passou por uma vila onde os aldeões estavam bravos e com raiva do dragão porque ele soltava fogo e queimava tudo. A criança e o dragão conseguem resolver a questão de uma forma diferente do que costumamos encontrar em histórias infantis.

Elementos presentes no exemplo acima e nas Teaching Stories:

1) Negociação: Criança e Dragão precisam de coisas que desejam. A Criança chega na caverna do Dragão sabendo que ele tem o que ela precisa. Ele dialoga com ela e, conversando e cada um expondo seus motivos e pontos de vista, conseguem chegar a um acordo em que ambos saem felizes.

2) Padrões de comportamento: as personagens que compõem as Teaching Stories não têm um padrão comportamental, ou seja, não há heróis, mocinhos ou vilões. Neste caso, a criança, que é a personagem principal, quer enfrentar o dragão antes mesmo de conhecê-lo.

Nos contos mais “tradicionais”, personagens principais não demonstram sentimentos considerados negativos de forma explícita, como raiva e tristeza. Antes do Dragão aparecer em cena, ele era tido como o antagonista. Ao desenrolar do conto, a criança se surpreende com o comportamento do Dragão, e percebe que ele não é quem parecia ser.

3) Empatia: Quando a Criança e o Dragão dialogam sobre os motivos pelo qual ele sopra fogo, ela entende e percebe seu problema, e se coloca em seu lugar.

4) Percepção: A Criança chega na caverna do Dragão disposta a derrotá-lo e conseguir o que deseja. Tanto o Dragão quanto a Criança percebem que ambos têm problemas a ser resolvidos e que nenhum deles é bom o mau por conta disso, após se conversarem e conseguirem ver o lado de cada um.

Estes elementos são colocados nas Teaching Stories dentro de uma estrutura particular onde a criança absorve de forma fluida, já que o contexto em que estão inseridos é coerente.

O que são Teaching Stories?

Histórias e contos são elementos presentes na vida de crianças de quase todas as culturas do mundo. É por meio delas que sabedorias, valores e costumes permanecem vivos através das gerações, seja durante a infância ou ao longo da vida. Conheça as Teaching Stories!

Mas será que as histórias infantis tradicionais, que estão presentes em muitas culturas principalmente ocidentais, transmitem a mensagem com o mesmo objetivo de quando foram criadas? Será que elas contém os elementos necessários para que a mensagem e intenção iniciais permaneçam intactas ao longo dos anos?

Existem alguns contos orientais que foram criados com alguns elementos permitindo que a intenção real sobreviva e toque muitas pessoas através das gerações.

As Teaching Stories não trazem moral da história nem repetição de padrões já conhecidos e naturalizados pelas pessoas – característica esta que muitas histórias folclóricas repetem . Este tipo de história utiliza certas palavras e eventos que, organizadas de tal maneira, atuam no cérebro de forma diferente.

Como funciona?

Os modos surpreendentes com que os personagens das Teaching Stories conseguem solucionar um desafio incentivam o cérebro a ampliar e perceber novas possibilidades, atuando diretamente no desenvolvimento cognitivo.

Como as Teaching Stories não fazem parte dos padrões de associações comportamentais, as crianças conseguem desenvolver mais flexibilidade na hora de solucionar problemas e lidar com situações em que não estão acostumadas a viver. Se as crianças tiverem contato com as Teaching Stories, elas poderão se tornar adultos mais preparados para o inesperado e mais perceptíveis em relação à inteligência emocional e a si mesmas.

A eficácia das Teaching Stories no cérebro das pessoas está baseada em estudos. Um dos pesquisadores sobre o assunto foi o psicólogo e autor Robert Ornstein. Muitas destas histórias que Robert Ornstein pesquisou foram publicadas pelo também professor, autor e pesquisador inglês Idries Shah.

Você pode conferir as Teaching Stories publicadas por Idries Shah no site da Fundação Idries Shah. Além das histórias, há uma grande variedade de livros, aulas em áudio e textos sobre crianças, literatura infantil, psicologia infantil e psicologia em geral. Vale a pena conferir!

:: Confira também: Por que a leitura é tão importante? ::